Oh! E agora, quem poderá nos ajudar?

Sérgio Lopes

 

 

2015 terminou como um ano que não gostaríamos que tivesse existido. Algo para esquecer, um lapso temporal que parece ter saído de um filme de ficção científica, em que os personagens dormem e acordam em um futuro sombrio e pós-apocalíptico. Pois bem, 2014, embora tenha sido um ano difícil, terminou com as esperanças renovadas de todo o povo brasileiro de que algo melhor fosse acontecer em seguida. Mas, bastou virar o ano para o pano cair. E aí, vieram fatídicas revelações que nos trouxeram ao estado presente de coisas.

Nunca antes na história deste País estivemos frente a frente com tamanho descaramento dos políticos de modo geral, mentindo e desmentindo, independentemente dos fatos que apontassem para a realidade nua e crua de que eles somente querem o bem para si e os seus mais chegados. Dizer que o PT é responsável por tudo isso é só escamotear a questão, porque, embora o partido de Lula, Dilma & Cia. Ltda. tenha mergulhado de cabeça naquilo que mais nos envergonha, não foram eles que inventaram tudo isso. Eles apenas aderiram tardiamente à prática política mais tradicional, da qual os caciques mais experientes do naipe do sr. Sarney, do sr. Calheiros e outras famílias que estão no poder há décadas são mestres dignos de se imortalizarem como os fundadores de uma escola política que afunda o País e enriquece aqueles que fazem e aplicam as leis, das quais eles mesmos são imunes.

Não é mais possível confiar na classe política brasileira. PT, PSDB, PMDB, PFL, PR, PRP, PTB, PDT, PQP… Que diferença faz? Não há ética na política, nem vergonha na cara dos senhores que comandam essas máquinas de consumir recursos públicos. Enquanto a população sofre com uma saúde pública deplorável, uma educação sofrível, desemprego e inflação, os ilustres “representantes do povo” vão viajar de jatinhos, participar de banquetes, férias na Europa e nos EUA, guardam dinheiro nos paraísos fiscais…

E nós, o que fazemos?

Em 2013, uma coisa inédita aconteceu no Brasil: pela primeira vez, a população se mobilizou de maneira espontânea, em passeatas por todo o território nacional, manifestando sua indignação com o descaso das instituições brasileiras para com os problemas reais que nos afligiam. Foi a coisa mais linda que já se viu! Isso porque não tinha a participação de sindicatos, partidos políticos, movimentos organizados de nenhum tipo. Foi uma legítima manifestação popular. Muita gente já esqueceu disso, mas logo em seguida das manifestações, o Congresso começou a votar e aprovar matérias engavetadas, os Governos nos três níveis começaram a tomar medidas favoráveis ao povo, o Judiciário começou a acelerar julgamentos importantes, tudo porque a legítima pressão que os brasileiros fizeram naquelas passeatas os levou a sentir que a coisa era séria.

Só que isso não poderia continuar assim, senão atrapalharia a dinâmica do poder, da forma como ela sempre funcionou. Então, começaram a infiltrar alguns bandidos e baderneiros nas manifestações, para caracterizar os tais “black blocs”, e desacreditar um movimento espontâneo das massas de brasileiros insatisfeitos. É claro que as pessoas verdadeiramente bem intencionadas jamais iriam querer se misturar com gente que só queria destruir as coisas. Conseguiram, então, jogar um balde de água gelada no povo para colocá-lo em seu devido lugar. Pois bem, não há mais manifestações e a festa continua (para os políticos).

2016 é ano eleitoral! Tudo o que podíamos esperar ou querer para que o nosso País caminhe melhor é que fôssemos capazes de escolher melhor quem vai nos representar na ocupação dos cargos eletivos. Escolher melhor e influenciar as pessoas para que elas escolham melhor. Não está fácil escolher. Mas, não há outro caminho. Que este ano nos traga sabedoria para acertarmos nas escolhas! Será que vai surgir algum Chapolin salvador?

Feliz Ano Novo para todos!

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Oh! E agora, quem poderá nos ajudar?

  1. Pingback: Para onde iremos? | Pensamento e Liberdade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s